O Tempo e a Produtividade

Se sentes como eu que o teu tempo é dos teus bens mais preciosos vais querer ler este post.

Durante esta década, enquanto especialista em alta performance e qualidade de vida, tive o privilégio de acompanhar centenas de pessoas e ensiná-las a otimizarem as suas rotinas, a melhorarem a sua produtividade e alcançarem resultados incríveis nas várias áreas das suas vidas. Em todas elas observei que o tempo era uma das coisas que mais valorizavam e, a sensação de falta dele, a grande preocupação e motor de avassalamento, esgotamento e desânimo.

Alguns alunos, já top performers nas suas profissões, confessavam que muitas vezes se sentiam a falhar com as famílias pois as empresas ocupavam a maior parte do seu tempo; outros mais jovens a quererem lançar os seus projetos mostravam-se preocupados por não saberem como acrescentar um casamento ou um filho na sua rotina louca; outros ainda já na loucura do dia a dia entre filhos e trabalho sentiam-se verdadeiros bombeiros a apagar fogos todo o dia, sem momentos para fazerem as suas paixões ou simplesmente relaxarem….

A verdade é que em todas as pessoas que tive o privilégio de acompanhar, o tempo, ou a falta dele, apareceu em quase todas as sessões de consultoria…

 

Quem sabe este também é o teu caso, e talvez te interesse saber o que descobri sobre a solução…

Se sim continua a ler:

O que descobri foi que, em quase todas estas pessoas, a origem desse estado de avassalamento e cansaço, residia no mesmo problema principal! Em todas havia um denominador comum que as conduziu a esse estado, em todas a causa dos seus problemas era, não a falta de tempo, mas sim algo que estava antes disso, a própria causa da falta de tempo… E o não conhecimento da causa dessa falta de tempo é que as conduziu à situação que me descreviam…

Deves estar a pensar… então Daniela, qual a causa da falta de tempo?!

 

O que descobri foi que, a razão principal dessa sensação de cansaço, esgotamento, avassalamento foi uma certa inaptidão, uma certa incapacidade para estabelecer proativamente limites, ou para manter esses limites!

 

Pensa comigo, se o tempo é um bem tão precioso, quando tu o dás a alguém essa pessoa sente-se especial e importante. Se não estabeleces limites na cedência do teu tempo, os teus filhos vão querer sempre mais a tua atenção, os teus colaboradores vão querer ver validadas todas as suas ações para terem o teu tempo, o teu chefe vai querer dar-te mais funções ou tarefas, todos vão querer um pouco do teu tempo. E no início dá um prazer especial poder ajudar e ser útil mas a médio prazo é algo muito pernicioso se for em demasia, pois enquanto estás a viver a vida dos outros, perdes a oportunidade de viver a única vida que te pertence: a tua!

Então, ficas assoberbado, ficas cansado, sem energia e desmotivado… E sem isso perdes foco, tomas decisões cada vez menos lúcidas e vais perdendo a tua essência, a expressão do que és e do que amas.

Ser produtivo é, antes de mais, chamares a ti a possibilidade de viver a tua vida, é aprenderes a ter estrutura, ter vitalidade, motivação, foco, lucidez, para fazeres o que amas, é chamares a ti o teu tempo! E isso só é possível quando aprendes a criar limites no tempo que decides ceder aos outros, ou que permites que os outros queiram de ti!

 

Gostaste?

Se sim, subscreve a nossa newsletter e sabe muito mais sobre produtividade e sobre muitos mais temas de desenvolvimento pessoal!

Close

50% Complete

Two Step

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.